13.11.02

TIM integra SMS entre clientes TDMA e GSM

Ainda em relação à tecnologia, outra novidade para o Brasil são acordos que permitem a comunicação da TIM Sul e da TIM Nordeste com a BCP

Uma das tecnologias mais promissoras no mundo móvel atualmente, o SMS (sistema de mensagens curtas de texto) é tema de dois novos anúncios da TIM para o mercado brasileiro. O primeiro refere-se à interoperabilidade entre a rede GSM e as redes TDMA do grupo, enquanto o outro trata de parcerias para permitir que os clientes interajam com redes de outras telcos.
A partir de agora, os assinantes da TIM GSM - que atua em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Pará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo - podem trocar mensagens de texto com os usuários das redes TDMA do grupo, ou seja, com a TIM Nordeste (Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí), a TIM Sul (Paraná, Santa Catarina e Região de Pelotas, no Rio Grande do Sul) e a TIM Maxitel (Sergipe, Bahia e Minas Gerais).

Além disso, a telco firmou parceria com a BCP (São Paulo e Nordeste) para possibilitar a comunicação via SMS entre os clientes da operadora com os usuários da TIM Sul e da TIM Nordeste. No caso da TIM Sul, a parceria com a BCP vem juntar-se ao acordo para troca de mensagens que a empresa tem com a Global Telecom.

Analista questiona interesse da BrTelecom no SMP

Ao comentar as propostas entregues para o leilão das sobras das bandas D e E, especialista do Yankee Group alega que a desistência da Telefônica pode estar ligada ao receio de novos investimentos

Entre as empresas que entregaram propostas, na manhã de hoje (12/11), para participarem do leilão das sobras das bandas D e E - previsto para o próximo dia 19 -, a grande surpresa foi a Brasil Telecom, de acordo com Luis Minoru, analista de Wireless do The Yankee Group. "Se ela comprar essa licença, torna-se concorrente da TIM e não sei quem ganha com isso", avalia. O especialista lembra que o caminho natural seria que a Telecom Italia Mobile voltasse a aumentar sua participação acionária na BrTelecom em 2003, quando acaba o prazo exigido pela Anatel para que a telco retome o controle da operadora fixa. Ao comentar a participação das outras telcos no leilão, Minoru destaca que o interesse da Telemar e da Telecom Americas nas novas concessões de telefonia móvel é um caminho natural. Da mesma forma, ele lembra que a Vésper já tinha declarado sua intenção de transformar-se em operadora celular. Quanto à Telefônica, que não entregou o documento para participar do leilão do SMP, Minoru justifica a desistência da telco do leilão pela própria situação financeira do grupo espanhol, o qual foi bastante afetado pelas operações no Brasil e na Argentina. "Há um risco envolvido e a companhia tem receio de fazer novos investimentos, como os que seriam necessários para o SMP", conclui.
4 grupos disputam leilão de sobras do SMP

BRASÍLIA (Reuters) - Quatro grupos devem participar do leilão das sobras das bandas D e E, que já foi adiado duas vezes este ano, para a oferta de serviços de telefonia celular, informou nesta terça-feira a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Segundo o presidente da Anatel, Luiz Guilherme Schymura, a expectativa é de que os dez lotes de áreas sejam vendidos. A abertura das propostas das empresas está marcada para o dia 19 deste mês.

As operadoras de serviços de telecomunicações Telemar, Brasil Telecom, Vésper e o consórcio Telecom Americas - que reúne Tess, ATL e Americel no Brasil - são os grupos que disputarão o leilão.

Será a terceira tentativa da Anatel em fazer o leilão das sobras do chamado Serviço Móvel Pessoal (SMP), que dá às empresas que vencerem o leilão uma condição de autorização para operar serviços de telefonia móvel.

O leilão inclui licenças em vários localidades do país, em Estados como São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Distrito Federal.

O lote mais caro será o de municípios em São Paulo, que inclui a capital, cujo preço mínimo definido pela Anatel é de cerca de 124,4 milhões de reais.

No início do mês passado, a Anatel decidiu adiar o leilão de 22 de outubro para 19 de novembro, depois de ter sido procurada por várias operadoras que reclamavam, entre outras coisas, da instabilidade na cotação do dólar, das incertezas geradas pelo período eleitoral e da necessidade de um prazo maior para possível formação de consórcio com empresas estrangeiras.

Motorola faz pactos por novos aplicativos
CHICAGO (Reuters) - Os usuários de telefones celulares Motorola poderão em breve baixar sons de toque e outras formas de entretenimento, além de informações financeiras em tempo real e aplicativos como programas de acompanhamento de despesas e projetos.

A Motorola, segunda maior fabricante mundial de celulares, anunciou na terça-feira a assinatura de acordos com empresas de software que permitirão que ela ofereça um pacote mais completo de modelos e serviços.

Os aplicativos todos se baseiam na linguagem de programação Java, desenvolvida pela Sun Microsystems . Os programas escritos com a linguagem podem ser usados com qualquer aparelho habilitado para o Java, de telefones celulares a computadores pessoais, não importando que sistema operacional eles usem.

A J2ME, versão móvel da linguagem Java, é crucial para o sucesso dos sistemas de dados sem fio de alta velocidade.

A capacidade de navegar pela Web e recuperar informações rapidamente por meio de celulares, computadores de mão e outros aparelhos móveis deve ser o próximo grande catalisador de receita e crescimento do setor, que vem enfrentando queda no crescimento de sua base de usuários, depois de anos de altos ganhos.

A Motorola assinou, especificamente, um acordo com a Handango, uma empresa de software para aparelhos móveis, e terá à sua disposição mais de 1,5 mil jogos para dispositivos móveis, tons de chamada e recursos gráficos para a linha de celulares capazes de operar com dados que a Motorola colocou no mercado recentemente.

Um acordo com a HillCast Technologies permitirá que os assinantes baixem software para verificar o clima em outras cidades, obter informações de colegas e armazenar projetos, tarefas e despesas.

``Estamos reforçando nossa aquisição da 4thpass'', disse Scott Durchslag, vice-presidente corporativo de estratégia e desenvolvimento.

A Motorola adquiriu em setembro a 4thpass, uma empresa de Seattle cujo software garante downloads corretos de aplicativos adequados para cada tipo de celular e fornece às operadoras de telefonia múltiplas maneiras de cobrar dos usuários pelo conteúdo acessado.

A Motorola disse que os aplicativos de entretenimento custarão de um a cinco dólares ao mês para os assinantes dos serviços de dados, e os de negócios serão mais caros.

A companhia informou que os serviços já estão em teste com determinadas operadoras norte-americanas de telefonia móvel.